Notícias

09.12.2019

Espetáculo infantil 'Freva, que lá vem história' é apresentado pelas crianças das oficinas de dança do Capibaribe

Neste mês de dezembro, realizamos a apresentação de conclusão deste ano das oficinas de dança das professoras Gervânia e Mabel. O espetáculo infantil aconteceu no Teatro Barreto Júnior com o tema “Freva, que lá vem história”. Segue abaixo um texto que representa toda a emoção e energia do lindo espetáculo apresentado pelas crianças.

Freva, que lá vem história...

Querido e consagrado
Por toda a classe social
Patrimônio imaterial
Do nosso Brasil amado
Não há quem fique parado
O frevo nos contagia
O corpo vira euforia
Transborda de emoção
É cultura, tradição
Arte, dança e melodia

Apesar da sua idade
É moderno e atual
Ele no nosso carnaval
É a maior celebridade
Recife foi a cidade
Onde tudo começou
O povo foi quem deixou
Pra Pernambuco o legado
Guerreiros que no passado
O frevo eternizou

O dobrado Marcial
De ritmo acelerado
Polca e Lundu agregado
Ao maxixe sensual
Nas ruas da capital
Arrastava Multidões
Guarda-chuvas confusões
A capoeira aderiu
Assim o frevo surgiu
De gingado e expressões

Relacionado diretamente
Com o fim da escravidão
Parte da população
Era de afrodescendente
Libertos recentemente
Dança carta de euforia
Gente com muita energia
Lutando por resistência
Ousava na irreverência
Durante toda á folia

Devido à grande disputa
Entre as bandas militares
Passos espetaculares
Surgiram através da luta
Capoeirista astuta
Proibido de jogar
Tiveram que disfarçar
Usando um argumento
E o golpe violento
Abriu alas pra frevar

Em concursos de passista
Surgia sempre um talento
Um deles foi Nascimento
Que é um grande artista
Egídio está na lista
Dos maiores vencedores
Coruja um dos professores
Fez a plateia pular
Zenaide atrai ao frevar
Olhares encantadores

Surgiu tesoura alicate
Parafuso e martelo
Cada passo forma um elo
Ferrolho também faz parte
Dessa belíssima arte
Que é totalmente urbana
Da Nação Pernambucana
O frevo é identidade
É grande diversidade
De passos que se irmana

No século passado
Recife e seus carnavais
Duas classes sociais
Por frevo era apaixonado
Trabalhadores de um lado
Entre afros e mestiço
Gostava do rebuliço
Dos grandes blocos de rua
Que até hoje continua
Fazendo o maior reboliço

Enquanto isso a nobreza
Busca lugares fechados
Os bailes eram inspirados
No que eles viam em Veneza
Luxo e muita beleza
Nas máscaras e fantasia
Longe da grande Folia
Arlequim e Colombina
Confetes e Serpentina
Alegrava a burguesia

Nas ruas era violento
Em clubes caro a entrada
A classe média encantada
Por aquele movimento
Criou um ritmo mais lento
E do pastoril Natalino
Tirou o que era Divino
O bloco lírico surgiu
Na letra e canto aderiu
Lindo coral feminino

É fácil identificar
Os homens seguem nas bordas
Só instrumentos de cordas
No bloco pode tocar
A mulher não podia frevar
Sor machismo e preconceito
E adquirir o direito
De viver a emoção
E Sentir o coração
Pulando dentro do peito

Rapidez nas expressões
Dança de muito impulso
Assim trouxe o balé Russo
Em suas apresentações
Causando admirações
O passista reproduzia
O que o corpo conseguia
E buscava adaptar
Passo tesoura no ar
Com nova cara o frevo ressurgia

Durante grandes festanças
O guarda-chuva era usado
Como porrete disfarçado
Na capoeira e nas danças
Depois de muitas mudanças
Foi aos pouquinhos sumindo
E a sombrinha surgindo
Em meio a brincadeira
Com as cores da bandeira
Do meu Pernambuco lindo

Frevo de rua tocado
Por orquestra instrumental
Não há ritmo igual
Para ele ser comparado
É rápido e acelerado
Em disco fez gravação
O rádio fez transmissão
Ganhou popularidade
Na Ladeiras da cidade
Faz ferver o folião

Sendo mais observado
Movimentos em criações
Cênicas e apresentações
Frevo foi escolarizado
Também foi sistematizado
Pelo passista Nascimento
Foi surgindo movimento
Entre o popular e erudito
O armorial misturado
Frevo é puro sentimento

Na contemporaneidade
A nova expectativa
O pensamento incentiva
Uma nova modalidade
Deixar o corpo à vontade
Para criar movimento
Expondo os sentimentos
A toda marcação rítmica
É o diálogo do passista
Traduzindo conhecimentos

Ao promover movimentos
Com toda autonomia
Com ferramentas que cria
Tradução dos Pensamentos
Servem como argumentos
Para trazer discussões
De várias situações
Políticas ou poéticas
Honestos ou antiéticos
Cultural e demais questões

Texto: Ediana Torres

*Confira o vídeo abaixo e mais fotos na nossa galeria.