Notícias

15.03.2021

CARTA ABERTA AO GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO

O Instituto Capibaribe enviou uma carta aberta ao Governo do Estado de Pernambuco, na última quinta-feira (11/03), para relatar a preocupação com a comunidade escolar, em meio ao número crescente de casos da doença covid-19, e a importância das escolas serem consideradas como equipamentos essenciais, sendo incluídas no primeiro grupo a receber a vacina anti covid. Segue abaixo, para conhecimento, a carta na íntegra:

O Instituto Capibaribe é uma escola particular, sem fins lucrativos, localizada no bairro das Graças, que há 66 anos dedica-se ao desenvolvimento intelectual e à formação cidadã de crianças e de adolescentes na cidade do Recife. Com o nome em homenagem ao nosso Rio, escolhido pelo professor Paulo Freire, seu fundador e primeiro diretor, esta escola foi criada no berço dos ideais democráticos, sempre pautada pelos princípios da justiça, em direção ao bem da coletividade.
Considerando o papel social da escola como espaço não só de construção do conhecimento, mas, também, como um lugar de relações sociais que contribui para o equilíbrio emocional das crianças e dos/as adolescentes, neste tempo de pandemia, estamos mantendo o ensino semipresencial, seguindo as determinações do Governo do Estado. A importância do funcionamento das escolas, públicas e particulares, é evidente, e, portanto, deveriam ser consideradas como equipamentos essenciais, e terem sido incluídas no primeiro grupo a receber a vacina anti covid, com cobertura a todos funcionários/as. No entanto, ainda aguardamos uma iniciativa concreta por parte das autoridades governantes, em tratar os trabalhadores/as da educação, como prioritários para receberem a vacina e protegerem a si e aos outros/as no exercício de sua tarefa.
Neste momento, em que a pandemia avança e as redes hospitalares estão saturadas, inquieta-nos os riscos aos quais os funcionários/as se expõem, pela quantidade de pessoas com que convivem no trabalho, e, também, nos trajetos entre suas casas e a escola, principalmente aqueles/as que usam transporte coletivo, e que têm menos condições de fazer o distanciamento social.
Diante do exposto, preocupa-nos nossa obrigação de proteger a vida de toda a comunidade escolar e da população em geral. Estamos diante de um dilema entre continuar com aulas presenciais, de acordo com as orientações do Governo, e a consciência que temos da possibilidade real de estarmos colocando em risco a vida das pessoas, contribuindo para a aceleração dos contágios.
Por outro lado, acreditamos que, no cenário da pandemia, uma ação isolada não é suficiente para conter um problema que é de ordem coletiva.
Permaneceremos atentos/as, confiantes na responsabilidade do Governo do Estado em adotar os encaminhamentos necessários, mesmo contrariando interesses econômicos, para que se evite uma crise sanitária irreversível, como vem sendo anunciada por diversos cientistas reconhecidos, caso não se pense em fazer um lockdown efetivo.
A coragem em defender a vida no momento presente é fundamental para diminuirmos as consequências do problema que estamos acumulando para um futuro próximo. Cada vida perdida é uma história, é um filho/a, um irmão/ã, um pai/mãe. Acreditamos que a vida de todos/as precisa ser preservada, para que tudo mais venha a ter sentido.

Por fim, apelamos à Vossa Excelência e às demais autoridades, que avaliem a situação do Estado de Pernambuco à luz da Ciência, que escutem os /as profissionais especializados/as em saúde pública, e atuem em defesa da vida, frente à pressão do Mercado.
Atenciosamente,

A Direção do Instituto Capibaribe
Recife, 11 de março de 2021